MOBICAXIAS aponta temas críticos e emergenciais

O Comitê Executivo do MOBICAXIAS anunciou esta manhã que infraestrutura que estrangula a indústria e o agronegócio, o turismo que é motivo de humilhação para os caxienses e a atração de investimentos são as três demandas emergenciais do conjunto de 13 eixos temáticos que desafiam o movimento comunitário denominado “Caxias 2040”.

A reunião de trabalho promovida nesta quinta-feira (23) se constituiu num marco histórico na medida em que assinalou a criação do Conselho Geral e a formalização do Protocolo de Intenções que norteará as atividades do movimento iniciado em novembro de 2017 pelas forças comunitárias representadas por mais de 150 lideranças do município.

O objetivo é refundar a matriz econômica da cidade através de planejamento de médio e longo prazo. Para isso foram criados três conselhos: o geral, integrado por todos os apoiadores da ideia; o comitê gestor, representado por Carlos Zignani (presidente), Astor Milton Schmitt (vice), além do reitor da UCS, Evaldo Kuiawa e pelo secretário municipal de desenvolvimento econômico, Emilio Andreazza; e um conselho executivo liderado por Rogério Ferreira.

O protocolo de intenções teve a adesão imediata dos representantes da CIC, UCS, Prefeitura, Simecs, Simplas, Sinduscon e CDL, rol que deve ser ampliado nos próximos meses.

Os 13 assuntos elencados pelo MOBICAXIAS são: infraestrutura (três frentes de abordagem) –Turismo atração de investimentos – educação básica – segurança – urbanização – programas sociais – agricultura (logística e acessos) – saúde – conectividade – plataformas de comunicação (interatividade).

O cronograma prevê reuniões das três câmaras temáticas prioritárias e a proposta de produzir um conjunto de ações a serem apresentadas até o final do ano. A participação do município, que gerava dúvidas, está confirmada. Será de “identificar propostas convergentes com o programa de governo do prefeito Daniel Guerra”, e a partir daí apoiá-las.

Deixe uma resposta